Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


10/11/2016 - Quinta-Feira
É amanhã
 


A penúltima etapa do mundial de F1 acontece amanhã em terra brazilis. E o cenário não poderia ser melhor. Não temos uma torcida animada como a Mexicana e comportada como a japonesa.  Porem todos os pilotos sentem o amor e entusiasmo torcida da brasileira.

   Tabu. Para Hamilton a missão é a mesma das duas etapas anteriores, vencer ou vencer. E ele capaz disso. Pesa contra ele a sina de nunca ter vencido em Interlagos. É um tabu de nove anos e que e ele espera quebrar  neste ano.     Marcador. O alemão continua na sua e não precisa vencer. Sua missão é apenas marcar Lewis. Mas duas coisinhas devem estar incomodando Nico. Suas unidades de potencia estão todas no limite. E Lewis tem uma seminova. A outra é Verstappen que quase tomou a segunda posição do alemão nas duas ultimas etapas.

   Tranquilo. Nico Rosberg aparenta estar muito tranquilo. Não demonstra nenhuma aflição e  até parece o Ice Man. Nico fez uma temporada consistente tirando aquele lance onde tentou tirar Lewis da pista na Áustria e se deu mal. Também em Mônaco ele se mostrou ineficiente.

    Especial. A calma que o alemão consegue passar contrata com suas declarações, ele quer muito vencer em Interlagos: “Ser campão em Interlagos seria muito mais especial  do que em outros lugares sem a mesma tradição”.   E ainda emendou:                                                                                                                                                                      Sei da história do esporte aqui no Brasil. Pilotos fenomenais saíram daqui no passado. E eu adoro assistir corridas antigas. Realmente gosto da história, e esse é um lugar especial, uma pista lendária.

  Fechou. A porta da esperança de Felipe Nash em correr numa equipe melhor em 2017 fechou nesta semana. A primeira a decidir foi a Renault decidiu manter Palmer na equipe. Sendo assim restava a Force Índia que a curto prazo é melhor que a Renault. Mas a Force India decidiu pelo queridinho da Mercedes  Esteban Ocon.                                     A equipe indiana tinha vários pretendentes para a vaga e com muito mais dinheiro que Ocon. Nash era um deles. Na F1 de hoje é difícil de acreditar que uma equipe quase sem dinheiro escolha um piloto com talento ao invés de um com muito dinheiro. Parabéns a eles.

  Sombrio. O futuro do nosso único representante na categoria máxima não é dos melhores. Até a vaga na equipe Suíça não esta garantida. Engraçado é que esta opção estava descartada e agora se tornou a única. O Banco do Brasil é chave do problema.                                                                                                                                                        O Banco quer diminuir o patrocínio de Nash. E do outro lado da mesa apareceu o Gutierrez que além de muito dinheiro é ligado a Ferrari ( fornecedora da equipe suíça) . Ficou difícil.    

 *Massa já havia previsto que corríamos o risco de não ter nenhum representante em 2017. Já que comentamos de Massa não percam a ultima corrida dele no Brasil, vai ser emocionante.

Programação do GP do Brasil

3º Treino livre - Sábado  – 11:00 – Sportv

Classificação -  Sábado  -  14:00 – Sportv

GP Brasil  F1 – Domingo -14:00 – Globo

Uma ótima semana.


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
#16- GP da Malásia – A segunda ninguém esquece.
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
Despedindo de Sepang
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#14 – GP de Singapura – A noite do iluminado
Veja todas as colunas deste colunista.