Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


06/09/2017 - Quarta-Feira
#12- Monza – O fracasso vermelho
 


Esse GP foi um tanto quanto monótono. Isso por que depois do desempenho demonstrado pela Ferrari na Bélgica todos esperavam uma disputa parelha no circuito italiano. Logicamente esse todo não inclui os alemães da Mercedes.

 Busca. Segundo a radio Paddock os engenheiros alemães depois da corrida belga, se debruçaram sobre as planilhas da telemetria e estudaram onde e por que os carros italianos ganhavam  vantagem sobre eles em alguns trechos do circuito de Spa. E assim descobriram o mapa da mina.

Segredo. E esse seria o segredo do ótimo desempenho dos alemães em Monza. Que  foi bem superior  ao apresentado em terras belgas. Pois todos esperavam uma luta equilibrada neste circuito devido as características semelhantes a Spa Francorchamps.

  Molhado. E para desespero dos tifosis ao fim de um bagunçado e longo Q3 vimos que os pilotos vermelhos se deram muito mal. Porem ainda foram beneficiados com uma longa e estúpida lista de desclassificações. E também vimos figuras raras nas primeiras filas, Stroll e Ocon.

    Lewis. Imagine você que entre os dez primeiros classificados um único piloto conservou sua posição conseguida na pista depois da FIA passar a régua de desclassificações e este único piloto foi nada mais nada menos que um ser mais conhecido como Lewis Hamilton.  

  *Lewis realmente foi soberano no solo italiano e de quebra já na classificação derrubou o recorde de Schumacher em números de poles, que havia sido igualado em Spa.

    Insensato. Essas desclassificações são impostas por trocas de elementos que compõe da unidade de força dos carros atuais. Porem chega a o absurdo de punir um piloto por mais 50 posições em uma única prova.

 Promessa.A punição da dupla da Red Bull prometia uma boa corrida com os pilotos do energético fazendo uma prova de recuperação. Verstappen que conseguiu o segundo posto na classificação foi jugado para décima terceira posição.

FoguetePorem logo após a bandeirada vimos o velho Verstappenultrapassando quatro carros antes da primeira chicane e após a conclusão desta ele conseguiu ultrapassar Perez que era o oitavo.( procure no site F1.com a câmera onboard. de Verstappen na largada.)

Dançada. Na volta seguinte na conclusão da mesma chicane, o seu lado atrevido foi além do lado da sensatez e tocou em Massa o que lhe causou um furo de pneu. Para não perder o costume reclamou muito de Massa por não ter baixado a guarda e facilitar para o atrevido holandês. Depois de muito remar Verstappen terminou num decimo posto.

O bom rapaz. Se Verstappen foi traído pelo seu lado insensato, seu companheiro de equipe Daniel Ricciardo que largou de decimo sexto, com paciência, arrojo e uma ótima pilotagem conseguiu terminar no quarto posto e se houve mais duas voltas conseguiria o terceiro de Vettel que já estava sem pneus.Foi escolhido merecidamente o piloto do dia.

Os holofotes. Como a corrida de Monza foi fraquinha os holofotes todos de miraram para o assunto Mc Laren com Renault e Toro Rosso com Honda. Depois da pressão de Alonso sobre a equipe de Woking, os ingleses foram com tudo pra cima dos franceses. E estes aceitaram ceder suas unidades de força para a Mc Laren.

Jogo. A Renault porem afirmou que só forneceria a Mc Laren se a Toro Rosso fosse com Honda em 2018. E assim entrou em campo a ala politica da FIA e os marqueteiros da Liberty. E nessa dança toda quem pode se dar mal seria nosso representante Massa.                            

*** Certamente o anuncio sairá nesta semana. Essa coluna foi feita na terça feira e revisada na quarta-feira e ainda não tinha sido divulgado nada de oficial de alguma das partes.

Uma ótima semana.


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
#16- GP da Malásia – A segunda ninguém esquece.
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
Despedindo de Sepang
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#14 – GP de Singapura – A noite do iluminado
Veja todas as colunas deste colunista.